Plástica Montenegro

Cirurgias Plásticas

Mamoplastia de aumento - A Cirurgia


Tipos de próteses

Um dos principais fatores relacionados ao sucesso da cirurgia de aumento de mamas é a escolha do tipo de prótese de silicone. Para que o formato dos seios fique natural, é preciso que sejam observadas as características do corpo e da pele de cada mulher. Além das características físicas de cada mulher, o médico analisa seu modo de vida, para que futuramente a prótese continue sendo adequada. Um fator muito importante é o planejamento de uma futura gravidez ou se a paciente já teve filhos.

Existem, atualmente, próteses de tamanhos, formatos e texturas diferentes para atender justamente a essas particularidades femininas. Os implantes podem ter diferentes características de perfil, base e superfície, conforme mostradas abaixo.

Perfil

Baixo: este tipo de prótese possui base redonda e larga e altura baixa. É utilizado quando se deseja uma maior projeção do colo mamário e pouca projeção para frente.

Alto: as próteses de silicone de perfil alto possuem base de menor diâmetro, porém são mais altas. O resultado é uma projeção mais acentuada para frente.

Anatômico ou “gota”: o perfil anatômico é mais baixo na parte superior e mais alto na parte inferior da prótese. É utilizado quando a paciente é magra e não possui projeção na parte superior da mama, evitando o estiramento excessivo da pele. Sendo assim, este tipo de prótese proporciona um visual mais natural à mama deste tipo de caso clínico, mas não se aplica a todas as mulheres.

Perfil direito e esquerdo: são próteses com formatos específicos para a mama esquerda e a mama direita. A lateral externa deste tipo de prótese é mais larga, proporcionando uma projeção maior para os lados e menor na parte frontal. Este tipo não é muito comum, pois se constatou maior movimentação da prótese nos casos em que foi utilizada.

Base

A prótese que proporciona o melhor e mais natural resultado é a de base redonda, porque dificilmente se desloca, ou seja, é a mais estável de todas as próteses quando analisadas em longo prazo.

Superfície

Por apresentar o menor índice de contratura capsular, a prótese de silicone texturizada – com micro-rugosidades – é a mais utilizada e recomendada pelos médicos.

A cirurgia

A cirurgia de inclusão de prótese mamária pode levar de duas a quatro horas e é realizada com anestesia geral ou local e sedação. O tempo de internação varia entre 12 e 24 horas, dependendo do tipo de anestesia utilizado.

Por proporcionar uma cicatriz pequena e de difícil percepção, a técnica cirúrgica mais utilizada pelos cirurgiões para a inclusão de prótese de silicone é a via axilar. Apesar disso, existem as técnicas pelas vias submamária e areolar. O que difere uma da outra é o local da incisão. Na primeira, ela é feita na dobra abaixo da mama, enquanto na segunda, ao redor da aréola. Em ambos os casos, a cicatriz não fica aparente.

Antes do início do procedimento, a área a ser tratada é limpa. A incisão transaxilar é feita na dobra natural da axila, deixando, assim, a mama sem cicatriz.

Separa-se cuidadosamente o tecido mamário para chegar à área da mama em que a bolsa será formada. Com os dedos e o auxílio de instrumentos, a bolsa onde será colocado o implante é, finalmente, criada.

Em seguida, a prótese é introduzida e a simetria, verificada. Por fim, as incisões são suturadas. A bolsa e a posição do implante podem ser ajustadas para garantir o resultado desejado.

Pós-operatório

Para que o resultado da cirurgia seja o esperado, é imprescindível o cumprimento de todas as orientações pós-operatórias e a não realização de esforço físico.

Durante o pós-operatório, é comum a presença de dores leves, que são controladas com analgésicos prescritos pelo cirurgião. Além disso, pode haver edemas (inchaços) e equimoses (áreas roxas e avermelhadas), que desaparecem em algumas semanas. As bandagens e os drenos – se houver – são removidos em alguns dias. Os pontos são tirados no período de sete a catorze dias.

O uso do sutiã cirúrgico é obrigatório por, pelo menos, quatro semanas – ou segundo prescrição médica. Ele ajuda a diminuir o inchaço evitando a formação de líquido, além de proporcionar conforto e sustentação. Deve-se evitar dirigir por, no mínimo, três semanas após a cirurgia. Além disso, deve-se evitar fazer esforço, levantar os cotovelos mais de 45º em relação ao tronco e carregar peso por, pelo menos, um mês. Isso dá tempo suficiente ao corpo para uma cicatrização eficiente.

Uma diferença no formato e na posição das mamas pode ser percebida logo após o procedimento. À medida que o inchaço diminuir e as mamas se adaptarem às novas posições, mudanças ainda maiores poderão ser observadas. Os resultados finais podem ser percebidos de seis meses a um ano.

É importante lembrar que uma gravidez após uma mamoplastia de aumento pode comprometer os resultados da cirurgia, pois os efeitos da amamentação podem fazer com que as mamas fiquem flácidas e mudem de forma novamente. Apesar de a mamoplastia de aumento não impedir o processo de envelhecimento, ela pode ajudá-la não apenas a melhorar a posição de suas mamas, como também deixá-las mais firmes por muitos anos.

Voltar

Médico Responsável: CRM 51.769 | REQ: 14693