Plástica Montenegro

Cirurgias Plásticas

Dermolipectomia de coxas

Lifting de coxas / plástica de coxas / coxas flácidas

Para as mulheres que se sentem inseguras para usar e abusar de mini-saias e shorts, a dermolipectomia das coxas é uma solução. A cirurgia, também chamada de lifting de coxas consiste na retirada de gordura e pele em excesso desta região do corpo (dermo = pele; lipo = gordura; ectomia = retirada). Nem sempre a lipoaspiraçãoé a melhor saída para pessoas que possuem as pernas grossas. Quando existe, além de excesso de gordura, excesso de pele na região das coxas, o procedimento mais indicado é a dermolipectomia das coxas.

A cirurgia é indicada para pacientes que sofreram grande e rápido emagrecimento – após uma cirurgia bariátrica, por exemplo – e também para pacientes que se sentem inseguros com sua aparência devido ao excesso de flacidez, resultante do processo de envelhecimento. Em ambos os casos, somente a cirurgia plástica pode melhorar a aparência das pernas.

No caso de pacientes que se submeteram à cirurgia de redução de estômago, a velocidade de emagrecimento causada pelo procedimento impede que a pele se ajuste aos poucos ao novo contorno corporal, causando grandes sobras de pele flácida em todo o corpo. Além disso, existe uma grande dificuldade em eliminar a flacidez da pele apenas com exercícios físicos – já que, após sofrer um estiramento maior do que o seu limite de elasticidades, a pele flácida não volta a ser rígida.

O procedimento pode ser realizado isoladamente, ou associado à lipoaspiração, o que garante melhor contorno corporal. A dermolipectomia não deve ser considerada como tratamento de obesidade, ou substituto de dietas e exercícios físicos.

O pré-operatório do procedimento consiste na realização de todos os exames laboratoriais prescritos pelo médico, na suspensão de medicamentos anticoagulantes – como o ácido acetilsalicílico – e em ter cigarro e bebidas alcoólicas evitados nos dias anteriores à cirurgia. Além disso, deve ser realizado jejum absoluto de sólidos e líquidos nas oito horas que antecedem o procedimento. Em caso de gripe ou mal estar, o médico deve ser avisado.

Especificações

Anestesia: peridural com sedação ou geral
Duração da cirurgia: entre duas e três horas
Tempo de internação: entre 12 e 24 horas
Pré-operatório: realização de exames laboratoriais e suspensão do uso de medicamentos como, por exemplo, anticoagulantes
Pós-operatório:uso de cinta cirúrgica durante, pelo menos, um mês
Tempo de recuperação: duas a três semanas

Médico Responsável: CRM 51.769 | REQ: 14693