Plástica Montenegro

Cirurgias Plásticas

Abdominoplastia - A Cirurgia


Antes do início da cirurgia, a área a ser tratada é limpa e as linhas de incisão são desenhadas.

Normalmente o procedimento é realizado com o auxílio de anestesia local e sedação. Porém, em casos mais complexos – nos quais há a remoção de grandes quantidades de tecido ou associação a outra técnica – a anestesia geral é utilizada.

A abdominoplastia geralmente requer duas incisões, que são feitas acima da região púbica de um lado ao outro do quadril. A extensão da incisão e sua forma dependem da extensão do tratamento e dos contornos corporais. A segunda incisão é feita ao redor do umbigo.

A pele e a camada de gordura sobre a parede abdominal são separadas. O tecido é desclocado em direção à caixa torácica, expondo os músculos abdominais.

Para enrijecer os músculos abdominais, eles são suturados juntos, criando uma parede abdominal plana e firme e deixando a cintura mais magra e esbelta.

A pele e a gordura descolada sobre a parede abdominal são então esticadas. Um novo orifício para reposicionar o umbigo é feito através de uma incisão nas camadas de pele e gordura.

Para evitar a formação de líquido durante o processo de cicatrização, são colocados drenos no abdome. Eles permanecem no local por duas a três semanas. As incisões são então suturadas e os curativos e bandagens são aplicados.

Um medicamento será receitado pelo médico para o caso de dor. Além disso, pode haver aumento de volume, sintoma que desaparece em poucas semanas. Os pontos são retirados no período de sete a dez dias após a realização do procedimento, porém, pontos reabsorvíveis podem ser utilizados. Neste caso, sua retirada não é necessária.

Pós – Operatório

A cicatriz deixada pela abdominoplastia não é pequena, mas é importante lembrar que ela é facilmente escondida sob a linha do biquíni. Além disso, após o sétimo ou oitavo mês, sua aparência se torna esbranquiçada e fina. Para uma cicatrização eficiente, é essencial o cumprimento das recomendações pós-operatórias.

Durantes os primeiros quinze dias após a cirurgia, deve-se evitar carregar pesos e tomar o devido cuidado para andar levemente curvado, para facilitar o fluxo sanguíneo. Além disso, escadas devem ser evitadas. Curtas caminhadas dentro de casa, com o amparo de um acompanhante, também facilitam a recuperação.

Não se deve dirigir no período de, pelo menos, vinte dias, ou antes da liberação médica. O uso de roupas apertadas também está vetado pelo mesmo período. É preciso também tomar cuidado ao sentar-se – para não esticar ou curvar demais o tronco. É importante encontrar um meio termo para ter maior conforto. Para um resultado de cicatrização ainda melhor, não se deve tomar Sol ou fazer compressas quentes no local da incisão.

O uso de compressão é obrigatório por, no mínimo, 35 dias, ou pelo período estipulado pelo médico. Esta malha auxilia na redução do edema e evita a formação de líquido, oferecendo suporte e conforto no processo de cicatrização.

É possível retornar ao trabalho em uma a três semanas, porém, pode levar de seis a oito semanas para retomar a rotina, incluindo levantar pesos e exercícios intensos. Novas gestações e ganho ou perda substancial de peso comprometem o resultado, embora com dieta e exercícios equilibrados, seja possível manter o resultado satisfatório por muito tempo.

Voltar

Médico Responsável: CRM 51.769 | REQ: 14693